Declaração

Eu sinto que ultimamente tenho compartilhado mais de mim. De certa forma, eu realmente sentia que era minha responsabilidade contribuir e ajudar e poder servir tudo que fosse possível às minhas próprias custas – mas pelos motivos errados. Agora eu enxergo os certos e verbalizo o que quero sempre que posso. Isso não me dá o que quero, mas uma sensação de ter tentado.

Uma parte da minha já antiga e decadente “seriedade” aconteceu pois eu me sentia mesmo sério e responsável. Mas outra parte era apenas a minha eterna oposição ao patriarquismo – e não só por causa da minha infância. Então, eu queria desesperadamente ser visto como alguém a ser levado a sério e tinha vergonha das minhas ignorâncias.

Claro que essa coisa da veleidade e da revolta ainda existem, mas eu escolhi tentar ser mais arredondado culturalmente para mostrar que minha masculinidade e meu poder não se perderam se eu estou sendo confuso ou vulnerável, engraçado, nojento… Pois há lugar para todas essas coisas. E eu venho tentado fazer o que eu prego e tentado parar de pregar e voltar a ser sem-vergonha: no sentido de abraçar e incluir e aceitar todas as partes de mim.

E eu ainda tenho os mesmos sonhos e medos. Medo de esquecer quem eu sou nos relacionamentos com as outras pessoas e me vender por pouco. De estar no meu leito de morte achando que não vivi, pois sempre estive pensando no futuro. Mas eu parei de igualar morrer com terminar. E continuo sonhando com leveza e equilíbrio. Em me lisonjear com alguém que se fascina por mim.

Pois a gente é rude quando é jovem e secretamente se acha inútil. E eu me achava inútil ainda, quando não estava sendo produtivo, pró-ativo e contra-fóbico. Mas nada é tão precioso, sabe? As coisas são sagradas, eu vejo Deus em tudo, mas a preciosidade que eu dava a certas coisas vinha do medo. Mas o maior problema sempre é aprender como lidar com as âncoras que tenho em mãos. Elas me deixam firme mas podem me fazer afundar. Não sei se as solto por completo ou se as recolho e saio navegando sem rumo.

*Texto escrito em novembro de 2006

Anúncios

2 comentários em “Declaração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s