O pop tem razão: “Habits (Stay High)”

“Eu era deprimido pois ouvia música pop ou eu ouvia música pop pois eu era deprimido?”. Essa é uma questão de “Alta Fidelidade”, não sei se do filme ou do livro ou dos dois. O que interessa é que a dúvida é pertinente. Para tentar extrair dela algum divertimento – ou alguma sabedoria – criei essa categoria no blog para analisar músicas que fazem sentido pra mim.

Tove Lo é uma cantora sueca que começou a vida na música escrevendo canções para inúmeros artistas, incluindo Icona Pop e Girls Aloud. Meu primeiro contato com ela foi com “Habits (Stay High)”, um hit inesperado com a fórmula pop que eu mais gosto nessa vida: batida forte e animada com uma letra depressiva e/ou reflexiva. Fazer pop com excesso de vogais no refrão é fácil.

Como acontece com Robyn e Sia, Tove Lo canta sobre acontecimentos pessoais (não necessariamente autobiográficos, mas vai saber) com certa melancolia. No clipe de “Habits” ela interpreta exatamente o tipo de pessoa descrita ali: alguém que aposta em comportamentos hedonistas de auto-destruição com o objetivo de esquecer alguém. Apesar de muito diferente, ela me lembra um pouco “Wake Up Alone”, da Amy Winehouse, sabe? E, como em todas as histórias desse tipo, o resultado desse hábito é o contrário do esperado.

“Eu janto dentro da banheira, depois vou para clubes de sexo (…), eu não nasci ontem e já vi de tudo”, é assim que ela abre a canção. Depois fala sobre larica, vomitar na mesma banheira onde jantou e gastar todo o dinheiro em bebida. E no refrão ela explica: “você foi embora e eu tenho que ficar chapada o tempo todo para mantê-lo fora da minha cabeça. Tenho que ficar chapada a vida inteira para esquecer que sinto sua falta?”. Acho bonito pois não é uma letra ostentação e nem adolescente “olha pra mim, eu bebo muito”, é um hino de tristeza mais profundo que isso.

E a música por si só é linda e bem produzida, mas o clipe a completa de uma forma maravilhosa. Todo mundo se reconhece ali. Gente feliz na festa, em público, pegando todo mundo que aparece pela frente, mas chorando no banheiro quando está sozinho. Mesmo quem não tem o hábito de sair pra baladas já “precisou” ir em alguma com esse objetivo de (teoricamente) limpar a mente e clarear as ideias. O problema é a ressaca que isso pode causar.

E o melhor desse refrão tão bonito e honesto é essa sensação dele ser gritado. Deve ser muito bom ouvir isso bêbado numa pista, pra poder berrar junto. É mais ou menos o que eu estou precisando fazer esses dias.

Anúncios

7 comentários em “O pop tem razão: “Habits (Stay High)”

  1. Nossa, adorei. Aliás, adorei a indicação. Não conhecia a moça, mas vou acompanhar, com certeza, pois já adorei Habits (Stay High). Nunca comento aqui, mas recebo teus posts por e-mail e leio sempre. Adoro todos. 🙂

    Curtir

  2. Olá, estou tendo contato com seu blog agora, e estava realmente procurando uma avaliação do clip habits- stay high.
    Vc disse exatamente, mas exatamente o que eu penso. Eu tb adoraria ouvir essa música bem alto, fazendo alguma transgressão, só para poder me sentir viva sabe? Adorei, adorei, adorei. Parabéns pela sensibilidade ao analisar a letra. Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s