Perto demais

Parando, pensando e sentindo. Sentindo falta. Daquele tempo. Aquele em que os hábitos chatos me divertiam. Dos tempos em não havia desculpas fundamentais para ser levadas a sério. Em que eu não enxergava a sua atração óbvia pelo caminho de menor resistência ou de menor distância. Que eu te achava completo e completamente capaz. Quando era, na verdade, auto-suficiente. Que eu supunha que a decoração dos nossos quartos expressava o mesmo conceito. Tempo da aversão óbvia e sem valor de minha insistência eterna. Pois eu sempre via um belo futuro àquele que me tocava. Então um dia eu me toquei.

Texto escrito em 2007

lalalaghi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s