Autocontrole é ter empatia por você mesmo

Dias desses um conhecido anunciou que estava mudando de cidade e quando questionei o motivo ele disse que gastava dinheiro demais em São Paulo, pois tinha muita festa todo final de semana. “Ué, você não pode continuar aqui e simplesmente não ir em tanta festa assim?”, perguntei, e ele respondeu de forma evasiva: “Essa é a sua opinião”. Não entendi nada.

***

Com certeza você já viu por aí o que é conhecido como o Teste do Marshmallow: crianças de várias idades são colocadas sozinhas em um cômodo com um doce e são instruídas a não comer o tal. Se resistirem por um tempo determinado, poderão comer muitos marshmallows mais tarde. Esse teste é feito desde os anos 1960 e é um exercício de autocontrole interessante de assistir: algumas crianças resistem à tentação, focando na recompensa maior que receberão no futuro. Outras crianças não aguentam e preferem comer o doce imediatamente, mesmo que seja apenas um docinho só.

Mas esse exercício tão bobinho (e até engraçado de assistir) guarda uma metáfora poderosa sobre nosso comportamento como humanos: o tempo inteiro precisamos escolher entre o agora e o futuro – independente da quantidade de doce, independente da nossa idade, independente de estarmos sendo observados ou não. O clichê existencial é que “o futuro a Deus pertence” e “o que importa é o hoje, não o ontem nem o amanhã”, mas não é bem assim. Especialmente se você pensar que autocontrole é um jeito de ter empatia por você mesmo.

E veja só: recentemente, a Universidade de Zurique divulgou um estudo muito interessante que mostra que a área do cérebro que cuida do autocontrole é a mesma que cuida de empatia e altruísmo.

Faz sentido, não é? Empatia é a sua capacidade de superar a sua própria perspectiva de vida ou sobre um assunto, apreciar o ponto de vista do outro, se colocar no lugar dele. O autocontrole é basicamente a mesma coisa, mas é a habilidade de se colocar no lugar que você mesmo vai ocupar no futuro; ao invés de ser um cuidado com uma pessoa diferente, é com você mesmo.

Autocontrole pode funcionar como um altruísmo temporal consigo mesmo na maioria das vezes. Pensar a longo prazo é racionalizar (alguma) restrição em nome de um objetivo maior. É aguentar mais um pouquinho um emprego chato para só pedir demissão no caso de uma oportunidade bem melhor. É não comer sobremesa todo dia para conseguir perder os quilinhos que você quer se livrar. É não comprar aquele tênis para pode guardar dinheiro para uma viagem. É dividir uma tarefa ao longo da semana ao invés de ficar com a semana livre e ter que fazer com pressa. É aguentar o longo e chato processo burocrático em troca de alugar o apartamento que você quer morar. E por aí vai.

Um dia, reclamando de uma ressaca, um amigo disse: “beber é pegar emprestada a felicidade do dia seguinte”. Acho esse um exemplo que cabe muito bem aqui. Impulsividade e egoísmo são duas metades da mesma moeda, enquanto seus opostos, restrição e empatia, são metades de uma moeda diferente. Para usar o exemplo do meu amigo, autocontrole pode ser o simples fato de não exagerar na bebida hoje em nome de algum compromisso que você vai ter no dia seguinte e você não quer perder.

O que você está fazendo de legal hoje é tão legal a ponto de sacrificar as coisas legais que você iria (ou gostaria de) fazer amanhã? Quando você perder os compromissos de amanhã, vai achar que valeu à pena ou vai se arrepender? É meio que assim que eu tenho tentado pensar ultimamente. Fez muita diferença no meu dia a dia enxergar que ser impulsivo pode ser um jeito de ser egoísta comigo mesmo – e não o contrário, como eu achava.

Essas características são as sementes dos nossos sucessos e fracassos quando o assunto é sair das nossas próprias bolhas egocêntricas, à caminho de compreender as vidas dos outros – mesmo quando esses outros somos nós mesmos, no futuro. Muitas vezes é preciso parar e respirar antes de continuar uma caminhada e apreciar a vista é tão importante quanto chegar no topo. Sim, basear sua vida inteira em planos para o futuro é uma perda de tempo, mas viver apenas no presente também pode ser muito limitador.

Em resumo, viver é tentar equilibrar isso tudo de forma que a gente caminhe de acordo com nossos objetivos verdadeiros, com nossas maiores vontades na vida. Quais são as suas? Você quer um docinho hoje ou um saco de doces amanhã?

(Leia também: Onde você quer acordar?)

marshmellow

(baseado no texto do The Atlantic)

Anúncios

2 comentários em “Autocontrole é ter empatia por você mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s