Correr sem rumo é esperar em movimento

“Anda mais devagar, por favor” é, provavelmente, a frase que eu mais ouvi a minha vida inteira. Da minha mãe, da minha irmã, dos meus amigos e namorados. Todos me pediam pra diminuir um pouco o ritmo quando andávamos na rua juntos.

“Parece que você tá sempre querendo estar em outro lugar”, diz minha analista. “Você quer sempre estar em algum lugar que não seja aqui”.

E é mais que isso: qualquer lugar que não seja aqui e que não seja agora. Um jeito muito claro que minha ansiedade me afeta é nessa sensação de sempre pousar minha felicidade em um futuro inatingível.

Minha vida será ótima quando uma coisa acontecer lá no futuro. Me baseando em tudo que não tenho agora, digo que estarei completo apenas lá na frente. Serei feliz quando estiver em um relacionamento melhor, em um emprego mais divertido, com um salário maior, usando umas roupas melhores, em um apartamento mais bem decorado, em outro bairro, em outro país, com um cachorro. E por aí vai.

O problema é que essa minha pressa pra estar em outro lugar não está me levando a lugar algum. A única coisa que consigo com esse pensamento é desvalorizar tudo que tenho.

É aquela metáfora do cavalo com uma cenoura pendurada na testa. A fome o move pra frente, mas ele nunca alcançará a cenoura, não importa quão faminto ele esteja. E na pressa de cavalgar em direção a ela, perde de vista as outras cenouras pelo caminho.

São anos e anos pousando minha felicidade ali na frente. E daí vem essa minha pressa. Eu não sei bem o que me aguarda ali na frente, mas deve ser melhor do que tudo isso que estou vendo aqui. Parece que, mesmo que intelectualmente eu não acredite de verdade nisso, até meu corpo acredita e me leva pra frente. Aliás, para frente não, e sim para longe. Longe de onde eu estava, com certeza. Mas não necessariamente para mais perto do que eu quero.

E o que eu quero? Se eu não souber o que eu quero, não adianta ir com pressa – pois, na verdade, eu não estou indo para lugar algum. Se é pra ir, é melhor ir com calma – mas de encontro a um alvo.

Um professor uma vez me disse pra fazer uma lista de tudo que eu queria da vida – e essa lista estava na ponta da língua, enchi o papel em segundos. Depois, ele pediu pra eu escrever – bem na frente de cada coisa que eu queria – que ações eu estava fazendo no meu dia a dia para ter aquela tal coisa que eu disse que queria tanto. Nem preciso dizer que essa segunda lista era bem menor.

Infelizmente, não dá mais pra ignorar essa verdade que ignorei minha adolescência inteira: correr sem rumo é esperar em movimento.

O que você quer da vida? O que você está fazendo pra chegar lá?

Screen Shot 2017-06-06 at 16.19.17
Mert Alas/LOVE
Anúncios

2 comentários em “Correr sem rumo é esperar em movimento

  1. Amo que seu texto de ontem fala da sua vida no futuro e o meu de hoje fala que não tem amanhã haha
    Mas….me lembrou disso:

    – O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?
    – Isso depende muito de para onde você quer ir, respondeu o Gato.
    – Não me importo muito para onde, retrucou Alice.
    – Então não importa o caminho que você escolha”, disse o Gato.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s